Pular para o conteúdo principal

Falcon Heavy. O que apredemos com isso?





Se você tem internet e se preocupa um pouco com os acontecimentos, certamente ouviu falar ou mesmo acompanhou o lançamento do Falcon Heavy algumas semanas atrás. Só para dar uma dimensão do feito, o foguete tem 27 motores, força equiparada a 18 jumbos e pode transportar até 64 toneladas a um custo de 90 milhões de dólares por lançamento. Se fizermos uma conta simples, são U$ 1.406 para cada kilo transportado. Isso é possível pois os propulsores retornam para a terra para serem reutilizados. O mais interessante dessa história é que o único passageiro, foi um veículo da Tesla, um simbólico Roadster vermelho com um boneco vestido como um astronauta ao som de Space Oddity do britânico David Bowie. 

Não faltaram simbolismos e referências. Quem conhece um pouco da vida e dos gostos de Elon Musk sabe disso, mas o que temos que nos perguntar é: Qual o motivo que fez a SpaceX enviar um carro para marte? Claro que a resposta é simples, foi uma ação de marketing. Mas o que não damos conta, é de como essa ação foi genial e bem sucedida para as marcas Tesla e SpaceX por um custo pequeno, até porque, foi um teste que seria feito independente do espetáculo midiático. 

O que aprendemos com isso?

Musk ganhou o coração, ou pelo menos a atenção de milhares de pessoas, ao plantar a semente da inovação e a força na crença humana em superar obstáculos e explorar novas possibilidades. Jobs fazia isso muito bem, mas ele vendia produtos que mudavam as vidas das pessoas, havia uma consequência direta. A Tesla faz carros para poucos e a SpaceX fecha contratos com governos e grandes empresas. Não existe uma consequência relacional, Musk não ofereceu produto algum com o lançamento do Falcon Heavy. Ele promoveu suas empresas plantando a semente da admiração no publico, nos clientes, nos investidores e em outras empresas. 

Assim como foi com Jobs, Musk é um representante fidedigno da cultura do Silicon Valley, um empresário que desafia os padrões estabelecidos por metodologias e aposta na qualidade da equipe em primeiro lugar. Mais do que identificação, isso cria uma admiração que vai além do homem, do produto ou da empresa. A gigante Microsoft pode ter seus fãs, mas ninguém pega um adesivo do logotipo com as janelinhas e cola em seu carro ou usa uma camiseta. Mais comum isso acontecer com o famoso pinguim do Linux, que carrega a bandeira do código livre e é grátis. 

Não venda para clientes, conquiste fãs   

Essa é uma frase comum em palestras e livros em todo mundo, mas como fazer isso? A primeira pergunta que você precisa fazer é: qual a cultura da minha empresa? Isso pode não parecer importante, principalmente em pequenas empresas, mas acredite, faz toda a diferença. As pessoas buscam identificação, atenção e inspiração. Não é muito fácil, mas existem passos que podem ajudar.

Passos iniciais

1- Desenvolva, viva e compartilhe uma cultura para sua empresa. 
Isso inspira as pessoas e atrai atenção para o seu negocio. Imagine uma empresa de sabonetes que se recusa a fazer testes em animais, que seria hoje a forma de testar menos dispendiosa, e trabalha para promover o consumo responsável e livre de sofrimento. Essa é uma bandeira que está ganhando força e se traduz na ética elevada da cultura de uma empresa. 

2- Abra canais de comunicação fáceis e eficazes.   
Não basta ter um telefone ou um endereço em um cartão bonito. O importante é a interação de clientes com a empresa, e de clientes com clientes. Derrube as paredes, não tenha medo de assumir problemas e falar abertamente com seus clientes. A dica é usar as redes sociais e ir onde estão seus clientes, sempre promovendo debates, idéias e atendendo prontamente as perguntas e as dificuldades. 

3- Cuidado com a linguagem. 
Não se esqueça que existem diferentes linguagens em diferentes grupos. Conheça o seu produto ou serviço profundamente, e se aproxime dos clientes. Ouça com atenção, aprenda com as necessidades deles e desenvolva soluções que vão além do simples e do comum. Surpreenda, abra portas e participe ao máximo do dia a dia dos seus clientes. Existem alguns gatinhos mentais diretamente relacionados com possíveis ações. Lembre-se, as pessoas buscam atenção, compreensão e aceitação. 

4- Toda comunicação é uma oportunidade que se apresenta.
Existem pessoas que entram em pânico quando toca o telefone, principalmente se a chance de ser um problema for grande. Acredite, as crises são grandes oportunidades. Isso mesmo, atender um cliente insatisfeito é uma via dupla onde todos ganham, principalmente se a solução aplicada funcionar corretamente. As pessoas entendem que problemas existem e aguardam pacientemente que tudo se resolva desde que sejam atendidas com lisura e cordialidade. Claro que problemas precisam ser minimizados ao máximo, mas a mensagem aqui, é que mesmo em momentos difíceis, a comunicação é uma oportunidade.

E o Falcon Heavy?

Neste momento, o Starman (nome dado ao manequim) segue no Roadster pelo espaço e essa aventura ainda renderá muito. Vai realmente chegar a Marte? Se chegar, como vai ser orbitar o planeta? Serão anos de divulgação e ainda vai render diversas peças para a mídia. Sei que não temos foguetes, nem carrões, mas tudo isso se trata de conquistar o coração das pessoas. Não é o preço baixo ou facilidades no pagamento que devem atrair os clientes, mas sim, o valor real que esta agregado no seu produto ou serviço e ele pode ir além da sua utilidade. Afinal, ninguém compra um Iphone por precisar de um celular ou um Tesla Modelo X para ter um carro. Em grande ou pequena escala, conquiste fãs e não clientes. 

Conheça o Sistema Aivis


Comentários