Pular para o conteúdo principal

Loja Virtual, porque você não deve ter!




Há mais de 20 anos trabalho com os mais diversos serviços ligados à internet e, inevitavelmente muitas pessoas me veem como um guru ou um sabe tudo do mundo virtual. Buscando melhorias no Sistema Aivis, faço dezenas de visitas toda semana a empresas dos mais diferentes ramos de atividade e inevitavelmente, perguntas são recorrentes sobre o comércio eletrônico. Normalmente quero saber sobre o modelo de logística e relacionamento da empresa, o motivo de querer vender pela internet e quanto pretende investir. Não levam mais de 3 minutos para eu infelizmente dizer “esqueça essa idéia!”.

Ebit prevê crescimento de 12% no faturamento do e-commerce no Brasil em 2017.

Crescimento e indicativos otimistas não querem dizer que é fácil entrar nesse navio. Esse é um mercado extremamente novo e com especificidades que pode variar tão rapidamente que poucos conseguem sobreviver, principalmente por conta da falta de planejamento e dos tubarões que já abocanharam quase tudo. Mas e se uma pessoa tem um produto exclusivo e sabe como usar uma plataforma de e-commerce para criar um site, afinal, tudo vai ficar bem baratinho. Ainda assim, posso afirmar que as chances de sucesso são tão baixas que não vale o tempo que será perdido. Ainda assim você pode estar lembrando de um amigo que tem uma loja virtual e que está indo muito bem. Provavelmente ou isso não é verdade ou é algo temporário. Conheço empresas que faturam mais de 5 milhões por ano na internet e não conseguiram atingir o ponto de equilíbrio. Na verdade, abrir um negócio online normalmente é mais difícil, arriscado e dispendioso do que uma loja física. 

As 3 perguntas fundamentais.

1- Por que você quer fazer uma loja virtual?
As respostas podem variar no formato mas, geralmente, não na essência. Existe uma visão distorcida, baseada somente nas experiências “físicas” e que na internet tudo é grátis ou barato. Outro erro é vendido por muitos sites de hospedagem que divulgam que, qualquer pessoa, mesmo sem conhecimento, pode fazer facilmente um site para vender. Isso não é verdade e ainda que seja feito, raramente vai funcionar. Por fim, as pessoas querem aumentar a receita e demonstram medo por ainda não estarem vendendo na internet. 

Acredite, todas as lojas virtuais de sucesso em nada se relacionam com lojas físicas e mesmo aquelas que possuem estruturas de venda na rua, criam uma nova empresa que atua sem qualquer vínculo. Mas você pode estar pensando, que é só para faturar um extra, um lucro a mais. Se não for planejada detalhadamente, vai dar prejuízo ou será uma grande perda de tempo. 

2- Como funciona a estrutura logística da sua empresa?
Por melhor que seja a organização do estoque, inevitavelmente se a loja fizer pouco mais de 10 vendas por dia, vai precisar de uma ou mais pessoas só para fazer a logística. Ainda assim, corre um grande risco de ter problemas com disponibilidade e entrega. Para piorar, o relacionamento com o cliente é completamente diferente na internet. A relação de venda é longa e o pós-venda precisa ser atuante. A quantidade de devoluções é grande e fura a previsão, além do processo para embalar, enviar, gerar o rastreamento e alimentar um passo a passo de todo processo. A chance de perder o foco é grande.

3- Quanto você pretende investir?
Como estou falando sobre empresas, vou pular as aventuras ou desventuras de quem acredita que uma idéia e alguma disposição são suficientes. Ter uma loja na internet é igual a uma loja física em um shopping ou na rua. É preciso pagar caro para ter um bom ponto de vendas para que clientes vejam e comprem na sua loja. Na internet é a mesma coisa, você vai gastar alto para que um cliente ache a sua loja e compre nela. Os índices de conversão (diferença entre quem entrou no site e quem comprou) são baixíssimos, normalmente não chegam a 2%. Para cada 1000 pessoas que clicaram no link patrocinado no Google, somente 20 compraram. O google cobra, caso seja CPC, valores como R$ 2,50 e até R$ 5,00 ou mais por cada clique. Fez a conta? Para isso existem otimizações de SEO e um trabalho minucioso para aumentar a conversão mas isso, exige especialistas com dedicação integral e que cobram caro para diminuir os custos de cada compra. Ainda tem o site que requer manutenção e custos de hospedagem. 

Nem tudo está perdido, planejamento é a chave.


Você pode começar pequeno, ter um bom produto e criar uma campanha que leve pessoas a comprar, cada caso é diferente. Se você tiver uma idéia, vale muito investir algum tempo e procurar entender o mercado e se possível fazer um plano de negócios. Converse com as pessoas, levante os custos a curto e médio prazo, estude as fases e os setores que serão necessários e principalmente, faça diversas previsões, desde o pior cenário, até o ideal. Para uma empresa já estabelecida, os passos são parecidos, mas a possibilidade de perder dinheiro é grande. O ideal é contratar uma consultoria para avaliar os custos, o crescimento e o ponto de equilíbrio. Lembre-se que é muito difícil vender pela internet, mas queira você ou não, ainda que seu negócio seja em um estabelecimento físico de boa circulação, a internet já é sua concorrente. Planejamento é fundamental. 

Comentários