Pular para o conteúdo principal

Invista no Goleiro

Em uma palestra recente Jorge Paulo Lemann, empresário listado pela Forbes como o brasileiro mais rico do mundo e participante do grupo AB InBev e 3G Capital, donos de marcas como: Burger King, KraftHeinz, Tim Hortons, etc. disse de forma muito acertada: “o goleiro é tão importante quanto o pessoal que está fazendo negócios… sempre dei muita atenção à administração e aos goleiros“. Essa frase foi uma referência ao que ele disse ter aprendido de mais valioso quando quebrou com uma financeira aos 26 anos. 


Jorge Paulo Lemann

Essa afirmação faz uma boa ponte entre o mundo dos negócios e dos esportes ajudando muito o entendimento e a devida importância que tais funções exercem em uma equipe vencedora. Desde pequenos, em nossas aulas de educação física na escola, quando o professor chama alunos para escolherem os times, primeiramente são escolhidos os atacantes e corredores e a defesa e o goleiro vai jogar porque é ruim nas outras posições. Provavelmente todos nós já passamos ou vimos tal situação. Ainda hoje, por mais importante que seja um goleiro, ninguém paga o ingresso para ir ver o goleiro, mas seu status como alguém capaz de decidir uma partida é reconhecido e exaltado. Isso pode ser visto também em esportes como corridas de automóveis em que os mecânicos são grandes responsáveis pelo sucesso mas não aparecem, na NASA que lançam foguetes com centenas de profissionais envolvidos mas só lembramos dos astronautas e é claro, em nossos negócios. 


Um time equilibrado

É natural esse apetite maior pelo atacante. É o vendedor que ultrapassa suas metas, faz grandes negócios e acelera o motor das empresas que queremos ser. É o resultado mais esperado e mais fácil de enxergar. Ele está ali, bem a nossa frente e nos alimentamos dele. É normalmente quando ficamos cegos e aceleramos até o motor explodir. Se isso já aconteceu com você, não se culpe. Todo aprendizado é importante e saber equilibrar o time é mais complicado do que parece. Claro que cada negócio tem suas especificidades mas no geral uma empresa se divide em: 

- Administração/RH/Financeiro
- Engenharia/produção
- Vendas/Marketing/logistica


A comparação simples é entendermos a venda como o ataque, a produção e desenvolvimento como o meio de campo e a administração como a defesa do time. O bom equilíbrio desses setores vão determinar o sucesso em nossos negócios. Como estamos aqui destacando a participação dos goleiros, isto é, do setor administrativo, vamos às seguintes considerações:

- 93% das empresas ativas no país são micro e pequenas empresas;
- 48% das empresas quebram nos primeiros 3 anos.


De quem é a Culpa?

Temos a tendência a culpar fatores externos como as causas dos nossos insucessos, mas a verdade é que a grande maioria dos negócios que fracassam é por motivos gerenciais, burocráticos, forte concorrência, má gestão de clientes, erros ou ausência do planejamento e excesso de impostos. Sim, continuamos falando do goleiro e esse é o principal motivo que leva tantos empreendedores ao fracasso. O engraçado é que muitos ainda argumentam ou não entendem o motivo da derrota se, afinal, foram tantos gols marcados. O problema é que vence quem, na soma e subtração entre gols a favor e contra, fica com o número positivo. Por isso mesmo que estamos aqui falando do goleiro.

A questão toda apresentada aqui é para estarmos atentos a nossa retaguarda, isto é:

- Termos um bom planejamento, de preferência incluirmos a descrição precisa do negócio, do mercado, dos custos e a previsão de vendas e crescimento;
- buscarmos auxilio de profissionais competentes e atualizados nas áreas tributária e contábil;
- investirmos um pouco do nosso tempo para aprender e entender sobre métodos de gestão;
- utilizarmos uma ferramenta de gestão que inclua o máximo de funções integradas e de fácil utilização;
- avaliar sempre os resultados e tomar decisões de curto e médio prazo baseadas em números concretos e mensuráveis; 
- valorizar o pessoal da área de administração criando uma comunicação fluente e periódica.


Como está a sua defesa? 


Claro que essas são algumas funções que temos que dar atenção especial para o bom funcionamento e a saúde a longo prazo dos nossos negócios. Jorge Paulo Lemann quebrou quando tinha 26 anos pois não valorizou o goleiro. Todos nós podemos empreender, mas aqui estamos aproveitando um exemplo de ninguém menos que o maior empresário e investidor do Brasil, com diploma em economia em Harvard University e que absorveu, aprendeu e deu a volta por cima. É uma lição valiosa e fácil de entender, mas difícil de implementar. Comece com um bom sistema de gestão, algo imprescindível, busque o máximo de informação e dê atenção especial para o equilíbrio dos diferentes setores do seu negócio. É melhor o resultado de 5 à 0, do que o de 10 a 9, portanto, invista em um bom goleiro. 

Comentários